Bicicletas: Conheça um pouco de sua História!

A primeira bicicleta, se assim pode ser chamada, foi criada pelo Barão Von Drais, em 1817. A belezinha não tinha pedais e nem mesmo um banco decente para ser montada, o que ocasionava bastante desconforto nas partes mais íntimas e cansaço, já que o que fazia a bicicleta andar era a força de seus pés. Imagine os Flinstones. Exatamente assim. Na verdade, ela servia mais para um descanso de sua bunda do que para te locomover com agilidade e rapidez, já que seu usuário praticamente andava sentado.

Em meados de 1860, após 40 anos da bicicleta “Flinstones”, colocaram-se pedais no objeto quase que não identificável, e a maravilhosa ferramenta futurista foi patenteada por Pierre Lallement. Os pedais foram instalados na roda dianteira, ainda não havia uma corrente que ligasse os pedais à roda traseira. Essa bicicletinha foi carinhosamente apelidada de “quebra-ossos”, não se sabe porque. Mas imagina-se que era devido ao uso de rodas de madeira, que eram envolvidas por metal e não pneus de borracha, como hoje em dia. Você já deve estar sentindo a dor que os falecidos “ciclistas” sentiam, mas imagine agora andar numa bike dessas nas ruas de 1860…

Então, eis que surge um ser humano perspicaz, que faz surgir a primeira bicicleta motorizada. O cidadão era norte-americano e chamava-se Sylvester Howard Hoper. Ele construiu a primeira bicicleta motorizada em 1868 e, com muito orgulho de seu invento, começou a demonstrá-la para o grande público do leste americano. O melhor de tudo vem agora. A bicicleta com motor do Mister Hoper era amiga da natureza! Seu motor não funcionava a base de gasolina e sim a vapor d’agua! Esperto esse Sr. Hoper, sua bicicleta fora construída em 1868 e já estava por dentro das tendências eco-amigáveis da nossa época.

No entanto, quem leva a honra de ter construído a primeira “real” bicicleta motorizada é um par de inventores, Wilhel Maybach e Gottlieb Daimler. Eles não só cederam seus nomes para luxuosíssimos motores automobilísticos como ajudaram a humanidade criando a primeira bicicleta com um motor para funcioná-la, que funcionava a base de petróleo, isso em 1885. A dupla nomeou seu filhote de Reitwagen ou riding carriage (algo como “carruagem em que você dirige”).

Mas e as rodas? Continuariam a ser de madeira e ferro? E a conforto? Felizmente, surge mais um ser humano genial, que alguns anos depois da Reitwagen inventa as rodas pneumáticas e a corrente que liga os pedais as rodas. Seu nome era John Dunlop e ele deu um basta as bicicletas, motorizadas ou não, que nos remetiam aos Flinstones.

Por volta de 1895, mais um americano engenhoso chamado E.J. Pennington (adoro essas abreviações de nomes americanos) desenvolveu seu próprio veículo em Milwaukee, e as bicicletas motorizadas perderam este codinome, e começaram a ser chamadas de motocicletas. A bicicleta motorizada, quero dizer, a moto de Pennington conseguia atingir até 60 mph.

No mesmo ano em que a moto surgiu, outro norte americano, esse sem abreviações no nome, mas com um Jr. no final, patenteou a bicicleta movida por uma bateria. Chamava-se Ogden Bolton Jr. e sua obra utilizava um motor elétrico instalado no interior da roda traseira e chupava 100 Amps de uma bateria de 10 volts, o que lhe dava uma autonomia tão duradoura quanto aquele espaço de tempo entre uma feijoada e a privada.

Atualmente, você senta numa bicicleta acolchoada, cheia de marchas, toda bonitinha e brilhante, enquanto seus antepassados criavam calos na bunda só para ir de uma esquina a outra. Mas pedalar com a intenção de percorrer grandes distâncias continua sendo cansativo e doloroso, ao menos que você seja um ciclista profissional. Então, finalizamos aqui a história das bicicletas com a última na escala evolutiva, nossa Bicimoto! Podendo alcançar até 50 km/h, você pode se dirigir a qualquer distância desejada sem sacrifícios. Conheça melhor nossas bicicletas motorizadas em nosso site!

Posts Relacionados

Comentários

Speak Your Mind

*

Faça seu comentário: