Indian Camelback

As motocicletas Indian foram fabricadas de 1901 a 1953 em Springfield – Massachusets pela Hendee Manufacturing Company que só veio a ser chamada de Indian Motorcycle Manufacturing Company em 1928.

Para conhecer um pouco da história destas clássicas e a qualidade de seus produtos basta começarmos com os 3 primeiros lugares no Isle of Man Tourist Trophy em 1911 o que foi um feito incrível dado o nível das adversárias, as condições precárias da pista e o pouco tempo de uso e testes destes modelos antes da prova.

A Indian ficou conhecida pelos modelos populares Scout fabricado entre 1920 e 1946 e a Chief fabricada entre 1922 e 1953

Aqui uma Scout de 500cc fabricada em 1928

 

[Read more…]

The Ride: a bicicleta motorizada de Leonardo da Vinci

‘The Ride’ com o sistema de transmissão NuVinci CVP, que foi inventado pelo gênio Leonardo da Vinci há mais de 500 anos atrás

A Ellsworth apresenta a bicicleta motorizada ‘The Ride’ com o sistema de transmissão NuVinci CVP, que foi inventado pelo gênio Leonardo da Vinci há mais de 500 anos atrás. Em automóveis, o sistema CVT (transmissão variável contínua) funciona sem marchas, ou melhor, com um número infinito de marchas, o que melhora a eficiência do motor. No caso da bicicleta, o sistema usado é o CVP (impulso planetário variável contínuo), que tem este nome por causa das esferas rotativas independentes que ficam dentro da transmissão.

O sistema NuVinci CVP não é automático, e você precisa usar o câmbio manual para ajustar a marcha da bike, mas segundo a empresa “não existe qualquer intervalo, nenhum barulho, nada para sincronizar e nem aquela espera para o mecanismo encontrar a marcha que você escolheu, é só mover o seu pulso e você está em outra marcha”.

As bicicletas NuVinci CVP custam a partir de 3 mil dólares, e o modelo especial com fibra de carbono e farol custa mil dólares a mais.

Afuá, a Copenhagen brasileira das bicicletas…

Em Afuá, no estado do Pará, ninguém tem carro e ninguém pisa no chão. Seus moradores vivem em palafitas e caminham sobre pontes de madeira que ligam as casas. O solo, permanentemente alagado pelo rio que banha a cidade, fica cerca de 1 metro abaixo de tudo. Por isso, a cidade paraense apelidou-se Veneza Marajoara. E por isso, também, a ausência total de carros – pelo menos de carros convencionais.

A cidade de Afuá reinventou o conceito do automóvel. “Carros” com 4 rodas, volante, capacidade para 4 passageiros, mas sem motor, circulam pelas estreitas ruas desse município com 35 mil habitantes onde veículos motorizados são proibidos por lei.
Bicicletas e triciclos são os meios de transporte mais comuns. Já os mais sofisticados são os bicitáxis, invenção local surgida da junção de duas bicicletas, unidas por estrutura de aço que leva bancos, capô, painéis e sistema para CD players e aparelhos de DVD que funcionam com baterias automotivas.

Os moradores chamam os bicitáxis de carros. A primeira versão foi lançada há 11 anos por Raimundo do Socorro Souza Gonçalves, o Sarito, que queria uma alternativa maior e mais confortável à bicicleta para passear com a família.

O veículo, com 3 rodas e capacidade para 4 passageiros, chamou a atenção e muitos moradores pediam para dar uma volta. Sarito passou a cobrar pelos passeios e batizou o invento de Bicitáxi, denominação registrada em cartório.

[Read more…]